Coronavírus e o Futuro do Trabalho: o depois é agora


Postado em 21 de abril de 2020

Por Cesar Rossi, CEO do Grupo BWG*

Hoje, todas as empresas estão passando pela mesma situação. Todas estão trabalhando para diminuir a chance de disseminar o covid-19 para as pessoas que apresentam alguma vulnerabilidade e proteger ao máximo todos os seus colaboradores. Todas estão precisando de formas diferentes e mais radicais de operar do que em um cenário comum.

Com isso, é hora de saber se estamos preparados para o Futuro do Trabalho que ao meu ver tem a ver com criar e manter uma organização operando em alta performance, adaptável e engajada onde todos os colaboradores são empoderados para se desenvolver, resolver problemas, atender os clientes e colocar suas ideias em prática.

Ser capaz de se adaptar rapidamente é o que estamos vivendo e algumas tendências do Futuro do Trabalho, como novos comportamentos, tecnologias e mobilidade, foram colocadas em prática. Agora, o maior desafio que temos é colocar nossas empresas para operar com a grande maioria do pessoal trabalhando no modelo home office e isso só será possível se a empresa tiver o ambiente e a tecnologia que suportem este cenário. É hora de tudo estar em nuvem e todos os colaboradores conectados em suas residências.

Uma das características do profissional do futuro é a flexibilidade no trabalho, permitindo o anywhere office, ou seja, poder trabalhar de qualquer lugar, a qualquer hora e em qualquer dispositivo. A comunicação e a colaboração têm que estar na veia de todos. Entender de tecnologia não é apenas para a área de TI. É uma competência que deve estar presente em toda a liderança e ser digital é uma mentalidade  que deve estar presente na estratégia de toda a companhia.

Tenho confiança que vamos atravessar esse momento desafiador bem, trabalhando em equipe, com disciplina e novos modelos de gestão rapidamente instalados. No final, estaremos fortalecidos e ainda mais preparados para o futuro que chega em uma velocidade cada vez mais alucinante. Temos que nos antecipar, não dá pra ficar de bobeira deixando para depois. O depois é agora.

Klaus Schwab, autor do livro “A quarta revolução industrial”, disse: “estamos a bordo de uma revolução tecnológica que transformará fundamentalmente a forma como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos. Em sua escala, alcance e complexidade, a transformação será diferente de qualquer coisa que o ser humano tenha experimentado antes”. Qualquer semelhança com a realidade, será que é mera coincidência?

* Cesar Rossi é CEO e co-founder do BWG – empresa de tecnologia com foco em soluções para o RH. Sua missão é acelerar a transformação digital no contexto do futuro do trabalho. Formado em Ciência da Computação, o empresário é obstinado pelo conhecimento e pela prática da Gestão Empresarial. Com mais de 30 anos de trajetória, o BWG se tornou uma das empresas líderes no Brasil na construção de cultura de alta performance. HBO, Votorantim, Thyssenkrupp, Engie, Corinthians, EDP, Unimed, Rede TV e Sebrae são alguns dos clientes que estão no portfólio do BWG.