A nova era do Facility Management: a sua empresa está preparada?


Postado em 13 de junho de 2017

Responder à pergunta do título talvez não seja simples sem antes você não ser colocado no contexto do que é a oferta de serviços disponível hoje no mercado brasileiro.

Versatilidade-G4S

O “Facility Management” surgiu na década de 70, nos Estados Unidos, e rapidamente foi adotado em todo o mundo. Naquela época, a oferta de serviços de Facilities compreendia um portfólio mais básico, limitando-se à manutenção básica e limpeza. Quase 50 anos depois, os serviços básicos ainda são demandados e têm grande importância para o mercado, mas Facility Management ganhou outra nuance, a estratégica.

As mudanças no mercado de trabalho, a horizontalização das empresas e o avanço tecnológico conferiram ao Facilities Management uma complexidade e amplitude de atuação que só projetos customizados poderiam exemplificar. Se eu te contasse que temos em nosso

escopo de Facilities um contrato com uma grande distribuidora de energia um projeto de conversão de clientes, você acharia que isso é Facilities? E se eu te dissesse que desenhamos um projeto de limpeza itinerante para 160 lojas objetivando eficiência operacional? Sim, tudo isso é Facilities. Mais inteligência aplicada, foco em inovação orientada a solucionar o problema do cliente e, principalmente, eficientizar sua operação.

Muitos gestores já perceberam que a contratação de Facilities Management deve ser encarada como um fornecimento estratégico, capaz de contribuir com expertise e tendências do mercado. Na Era da Informação, por exemplo, gerir espaços e equipamentos será uma tarefa de decisões detalhadamente calculadas e as empresas de serviço precisam começar a aderir aos novos recursos, como por exemplo a IoT.

Apesar de um futuro tão promissor, ainda convivemos com um presente de muitos desafios. Por ser um mercado relativamente jovem, é pequena a quantidade de empresas que oferecem serviços especializados como os que eu citei e quase inexistente aquelas que tem ferramentas de análise e planejamento para encontrar a solução adequada para o seu cliente. Segundo dados do Sebrae, no Brasil 70% das empresas de Facilities têm até 20 colaboradores, demonstrando uma grande fragmentação do mercado.

Definitivamente, encontrar o tão sonhado parceiro estratégico não é tarefa para principiantes, é um desafio para quem está concorrendo, mas também para quem precisa contratar. Como pensamento final, deixo uma dica útil na hora de contratar: converse com um cliente do seu futuro fornecedor/parceiro, nada tão real quanto a experiência de um par.

 


Sergio Souza - CEO G4S Brasil

*Sérgio Souza é CEO da G4S no Brasil desde 2015, liderando mais de 20.000 colaboradores, e tem formação acadêmica em Estatística pela Unicamp e Business Management pela Northwesthern University – Kellog School of Management. Com 20 anos de experiência em cargos de liderança, iniciou a sua carreira na Pirelli e chegou à posição de COO na GE Capital. No início dos anos 2000, foi Chief Operating and Technology Officer da Visa Vale e, em 2008, assumiu como CEO da Interfile. Também foi CEO da Teleperformance – líder global em gestão omnicanal de relacionamento e experiência do consumidor.

**A G4S é líder global em soluções de Segurança e Facility Services. Com mais de um século de operação, está 90 países, tem 590 mil colaboradores e é listada na Bolsa de Valores de Londres (LSE) e na Copenhagen Stock Exchange. No Brasil são 20 mil colaboradores há 40 anos atendendo os mais exigentes clientes, Securing Your World é o compromisso global da G4S em assegurar tudo o que realmente importa para nosso clientes.