HR Transformation foi tema do WTC Fórum de CHROs em São Paulo


Postado em 28 de março de 2017

No último dia 21 de Fevereiro realizou-se o primeiro WTC Fórum de CHROs, focado nos Vice-Presidentes e Diretores de RH e das maiores empresas do país. Tratou-se de um tema estratégico não só para a área de gestão de pessoas, mas para toda a organização: HR Transformation. Para tal, um painel seleto dividiu práticas, tendências, potencialidades e desafios com os mais de 40 C-Levels da área. O mesmo foi formado por Wilson Monteiro – Diretor de Recursos Humanos América do Sul da ABB, Alessandra Morrison – Diretora de Gestão de Pessoas da Cia. Hering, e Eliane Trinca – Diretora de Recursos Humanos da Volvo.
HR Transformation – em vias concisas – é o processo no qual as empresas percebem o Departamento de Gestão de Pessoas como uma área estratégica para a sustentabilidade e consequente crescimento da organização. Isso se dá em empresas que tenham maturidade para compreender como que o desenvolvimento de talentos, uma atração cada vez mais direcionada e culturas cada vez mais alinhadas com o planejamento de longo prazo da empresa pode ser crucial e um fator catalisador para a perpetuidade da instituição.
Entretanto, é uma visão que nasce – ainda necessariamente – do CEO ou do Conselho Administrativo. Um dado do WTC Pesquisa vai ao encontro da informação, no qual se tem que quase 50% dos CHROs indicam no CEO ou no Board a persona mais alinhada com as expectativas e estratégias do RH. A figura do CEO é essencial no processo, pois confere credibilidade ao executivo, além de engajar diferentes times e demais departamentos.
Fala-se não em uma transformação, mas em transformações, a partir do momento em que o executivo de RH se insere no universo de processos, pessoas e de tecnologia. Em um primeiro momento há a transformação interna, adequando o mindset dos funcionários junto à nova realidade da organização. Em um segundo momento, há não somente a transformação da empresa em si, mas também a transformação para a cadeia de valor das empresas, atingindo clientes, fornecedores e parceiros.
O próximo passo tende a ser não mais parte de um processo, mas sim uma inovação com alta inteligência de mercado agregada, respaldada em dados e analytics. Tem-se, por fim, o HR Disruption, o qual terá por objetivo maior o empoderamento de pessoas, a manutenção da transformação passada dentro do RH, além de ser o fator-chave para envolver a próxima geração em gestão de pessoas.

Por Gustavo Rufo (WTC Business Club)