Fórum WTC BC reúne Mulheres Executivas em SP


Postado em 21 de setembro de 2016

No encontro, Sandra Guerra, da Better Governance, e Andrea Menezes, do Standard Bank, falam sobre a presença feminina em cargos de liderança nas empresas…..

Por Editora Lamonica

16/09/2016 – A participação feminina nas lideranças foi o tema central do WTC Fórum de Mulheres Executivas promovido pelo WTC Business Club no último dia 13 no WTC São Paulo. O encontro, que teve a presença de executivas de empresas como PwC, Dell, Ernst & Young, KPMG, Grant Thornton e LATAM, contou com as apresentações da CEO do Standard Bank, Andrea Menezes, e da sócia-diretora do Better Governance, Sandra Guerra, que trouxeram para a discussão uma série de questões relacionadas à importância e à necessidade de se aumentar a participação das mulheres em cargos de liderança dentro das empresas em todo o mundo. O debate contou com a mediação da CFO do laboratório de pesquisa da IBM, Monica Pires, que também contribuiu com a elaboração do conteúdo apresentado.

Andrea Menezes trouxe para o encontro dados de estudos realizados pelas consultorias McKinsey e Credit Suisse com o objetivo de não apenas chegar na quantificação da importância da mulher em conselhos de administração, mas também, de ampliar para a importância da mulher na sociedade e o quanto ela pode contribuir. Entre os dados destacados por Andrea, estão: 75% do trabalho não-remunerado no mundo é feito por mulheres; 61% desse trabalho é rotina doméstica – e isso equivale a 13% do PIB –; as mulheres gastam 3 vezes mais horas em trabalhos não-remunerados do que os homens; as mulheres são 50% da força tarefa do mundo, mas contribuem somente com apenas 37% do PIB; e 1 em cada 3 mulheres no mundo é vítima de violência pelos seus parceiros. “Estes estudos revelam que só teremos paridade de gênero no mercado de trabalho se a sociedade tiver antes. Você não consegue que o chairman ou CEO de tal empresa tenha a visão de um mundo diverso se, na casa dele, quem lava a louça é só a mulher. Não vai funcionar”. Andrea destacou, ainda, que 20% dos países estudados pela McKinsey fazem diferenciação entre homens e mulheres. “Ou seja, para você chegar até o conselho com uma participação feminina, você tem que ter uma sociedade em não haja esta diferença. Se não mudarmos na sociedade nossa conscientização de gênero, na família, começando pela educação de nossos filhos, não conseguiremos na vida corporativa”, refletiu a executiva.

“Faz muita diferença quando você olha para si e diz: não importa o que eu queira, eu farei acontecer”, comentou Sandra Guerra que, à frente de conselhos há 21 anos, dividiu sua experiência com as participantes e destacou algumas atitudes importantes para aquelas que queiram assumir cargos de liderança dentro das empresas. Para a executiva, quando se tem uma visão, a mulher é capaz de levar seus times e sua empresa naquela direção. “É muito importante exercitarmos para nós mesmas a visão ampla e ter muita confiança na capacidade que temos. Percebi ao longo de minha carreira que quando fazemos isso, a limitação que vem do mundo em torno de você é um pouco menor. As certezas que você tem sobre suas condições fazem muita diferença nesse mundo”, aconselhou.

Acompanhe as edições da Revista Varejo & Oportunidades.